Qual é o momento certo para matricular seus filhos na escola pela primeira vez? Essa é uma dúvida frequente para os pais que geralmente recorrem à Educação Infantil por necessidade, uma vez que a ação não foi planejada espontaneamente, nem houve um aprofundamento maior sobre o quão fundamental é essa etapa na construção do conhecimento das crianças. 


Há também o medo de introduzir a escola ainda na primeira infância com receio de que isso possa influenciar negativamente o desenvolvimento infantil ou retirar das crianças o tempo de brincar. Ir ao colégio pode assumir uma conotação de uma dia a dia muito intenso para quem tem tão pouca idade. 


O Colégio Apoio esclarece que as experiências que acontecem nos primeiros anos de vida e nas relações iniciais ajudam a criança a encontrar um lugar no mundo e aprender a conviver, tanto na família quanto na interação com o outro nos espaços sociais. 


Como referência de colégio construtivista no Recife, defendemos que, desde o Maternal,  esse processo deve ser desenvolvido de forma que os pequenos aprendizes desfrutem de todas as etapas dessa fase do ensino focada nas experiências. A seguir, explicaremos como o fato de ir à escola nos primeiros anos de vida é de extrema importância e o papel da abordagem construtivista para incentivar o potencial de aprendizado dos alunos.

 

A Educação Infantil e os primeiros passos no desenvolvimento da aprendizagem 


A primeira etapa da formação acadêmica de uma criança, considerada do zero aos seis anos de idade, é a Educação Infantil. Apesar da matrícula ser obrigatória apenas a partir da Pré-escola, a proposta para toda essa fase do ensino está prevista na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. O documento indica que esse é um momento em que o foco deve ser nos desenvolvimentos físico, emocional e social das crianças.


Por que é importante inserir as crianças no ambiente escolar já no começo da vida? "É na primeiríssima infância que elas vivenciam experiências de socialização e interatividade com outros pequenos, essenciais para desenvolver habilidades, adquirir autonomia e construir uma postura em relação ao mundo. Etapa  fundamental na formação dos alicerces responsáveis pelo crescimento pleno". Assim explica Liliane Moura, psicóloga da Educação Infantil do Colégio Apoio.


Segundo Beatriz Ferraz, doutora em educação e consultora da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal (FMCSV): “Pesquisas mostram que é durante os primeiros 3 anos de vida que as crianças têm maior potencial de aprendizagem”. As habilidades socioemocionais que são desenvolvidas nessa fase determinarão a capacidade de a criança lidar com as emoções e construir relações saudáveis na idade adulta. Portanto, é nessa época que construímos a base onde são fixadas todas as estruturas para a vida. 


Benefícios de Educar na Primeira Infância 


Ao entrar na escola nos primeiros anos de vida, provavelmente, esse será o ambiente inaugural de vivências fora de casa, espaço em que ela vai conviver, diariamente, com outras pessoas sem ter os pais por perto. Só esse fato já faz do Ensino Infantil um ótimo exercício de convívio social. Mas a importância dessa etapa na formação do cidadão não para por aí. É um equívoco pensar que crianças pequenas vão à escola apenas para brincar, que investir nessa formação é perda de tempo. É claro que, com menos de seis anos de idade, a brincadeira faz parte da rotina escolar, mas não se trata, exclusivamente, de distrair a criança, e sim, de aproveitar o lado lúdico para proporcionar seu desenvolvimento motor, cognitivo e social. A sala de aula para os pequenos pode ser transformada em um ambiente mágico com cores, personagens, brinquedos e muitos elementos que atraem, possibilitando satisfação de estarem ali. Condição adequada para que comecem a gostar de estudar ao compartilhar da experiência com educadores e outros colegas. Um aluno que gosta de frequentar o colégio tem muito mais chances de aprender e se sentir feliz com isso, por compreender sua importância e do próximo.


De acordo com Elza Corsi, fundadora do Instituto Avisa Lá: “As crianças aprendem a cuidar de si e dos outros ao serem cuidadas”. Ela comenta sobre como oportunidades oferecidas por professores e pelo ambiente escolar impacta na formação ética dos sujeitos. Assim, apesar de os bebês não falarem sobre si, eles percebem o mundo e começam a aprender pelas vias sensorial, mental e discursiva.


Outros benefícios incluem: 

  • Contato desde cedo com livros e com o mundo da leitura
  • Provocação da socialização
  • Desenvolvimento do sentimento de grupo
  • Estímulo da autonomia
  • Efeitos positivos na alfabetização e no aprendizado de longo prazo

Tudo deve ser conduzido com afeto, segurança e cuidado por parte dos educadores. Aqui no Colégio Apoio, utilizamos brincadeiras e experiências lúdicas para que, por meio delas, o conhecimento possa ser construído. As Os professores estão atentos para realizar interferências pedagógicas quando for pertinente, sem, com isso, afetar a liberdade da criança. Em razão do ensino construtivista ser a nossa base nesse processo, acompanhe a seguir como o socioconstrutivismo é aplicado na Educação Infantil no nosso Colégio.


O Construtivismo na Educação Infantil


Os anos iniciais da escola estão totalmente ligados a ter experiências. Os pequenos necessitam tocar, sentir, testar, observar, atestar e ver os resultados. Para isso, precisam de uma metodologia de ensino que proporcione tempo e espaço às descobertas.

O construtivismo é uma teoria criada pelo psicólogo Jean Piaget, usada como base para muitas outras teorias e estratégias educacionais, por seu foco em como as pessoas aprendem. Ele afirma que aprendemos melhor por meio da experimentação. Além disso, a teoria socioconstrutivista defende que todo conhecimento é construído a partir de uma base de aprendizado. As crianças não são uma lousa em branco e o saber não pode ser transmitido sem que a criança compreenda de acordo com suas concepções atuais. Portanto, os alunos aprendem melhor quando são estimulados para construir um entendimento pessoal baseado em experimentar coisas e refletir sobre essas trocas. Piaget também defende que a brincadeira não deve ser encarada apenas como divertimento ou gasto de energia. É brincando que as crianças compartilham entre si e se desenvolvem em todas as suas possibilidades. O Colégio Apoio contempla a amplitude dessa riqueza em seu projeto pedagógico. Defende que grande parte do processo de descoberta do mundo acontece por intermédio do brincar e das investigações e descobertas a partir dele. 


São características de nossa sala de aula construtivista: 

  • Alunos ativamente envolvidos
  • Espaço democrático
  • Atividades interativas com foco na criança
  • O brincar intimamente ligado ao processo de aprendizagem.

Definitivamente, construtivismo acredita na importância da interação social, nessa e em todas as outras fases do ensino. Interagindo com o outro, a criança torna-se mais cooperativa, empática, tolerante, respeitosa e com uma visão mais crítica do mundo que a cerca.


Em síntese 

Ir a primeira vez à escola é um momento marcante que vai influenciar toda a vida da criança. Escolher uma instituição humana, que entenda e respeite a pluralidade e eduque de maneira afetiva, parece ser a melhor forma de colher frutos positivos dessa experiência. 

Compartilhamos da opinião de que a Educação Infantil não é somente um ambiente dedicado a cuidados, mas um espaço de trocas onde a criança brinca, interage, ri e desenvolve todo o seu potencial de forma lúdica, prazerosa e espontânea, acompanhada por competentes profissionais compromissados com a aprendizagem. 


Gostaria de saber um pouquinho mais sobre educação na primeira infância? Como o Colégio Apoio pode colaborar nessa missão? Aprofunde mais o tema com as informações do post anterior sobre aprendizagem ativa. Boa leitura.