Nós, brasileiros, sabemos que o Brasil é o país com a maior diversidades de plantas e animais do planeta e já perdeu boa parte dos territórios mais ricos e frágeis de seu ecossistema, a Mata atlântica, com 90% de perda, Cerrado, com cerca de 88% e a Amazônia, com 20% de perda.  Junto com o aumento da temperatura na Terra, a perda da biodiversidade é o maior desafio para a humanidade nos dias atuais.

Pesquisadores estimam que 150 espécies sejam extintas todos os dias no mundo e calcula-se que 30% delas podem deixar de existir até o final deste século, se o aquecimento global não for mantido abaixo de dois graus. 

No planeta, existem milhões de espécies das quais cerca de 17 milhões foram identificadas até agora. Só em 1994 o número de espécies ameaçadas de extinção incluía aproximadamente 5.400 animais e 4.000 vegetais. Isso é muito sério pelo fato de a biodiversidade ser o maior recurso do planeta, e sem dúvida a maior oportunidade de riquezas para um país. A perda de recursos e da diversidade biológica ameaça o fornecimento de alimentos, remédios e energia, e ainda interfere no controle sobre a erosão, a purificação da água e do ciclo da atmosfera.

Sobre os riscos à fauna e à flora, um estudo feito pela ONU (Organização das Nações Unidas) afirmou que atividades humanas ameaçam mais espécies atualmente do que nunca. A conclusão foi baseada no fato de que em torno de 25% das espécies de plantas e de animais estão vulneráveis.

Em vista dos argumentos apresentados, nós, brasileiros, que lutamos pela proteção de todas as espécies de animais existentes nesse país, não somos capazes de resolver esse problema  se não houver uma colaboração de maneira geral, por isso pedimos, não só para os cidadãos, mas  também para o Ministro do Meio Ambiente que participe e invista mais na situação. 

Maria Clara Coelho